Quick News

Problemas mecânicos perseguiram João Vieira no Brasileiro de Sudam


| 9 anos atrás | Por:
Foto: Flávio Quick

Foto: Flávio Quick


Quebras e acidentes acabaram por marcar a participação do piloto na primeira fase da competição

Na última semana, entre os dias 10 e 14 de julho, foi disputada no Kartódromo Beto Carrero World a primeira fase do Campeonato Brasileiro de Kart. Mais de 200 pilotos de todas as regiões do país buscaram o título em uma das oito categorias que compuseram esta fase da competição.

Representando o estado do Tocantins o piloto João Vieira, de 14 anos, chegou para a disputa na classe Sudam (aberta a equipamentos importados) como um dos fortes candidatos ao título. Depois de ter conquistado recentemente a vaga para a Seletiva de Kart Petrobras o piloto chegou ao nacional embalado pelo bom momento na temporada e queria lutar pelo título também nesta categoria Sudam.

Com bastante empenho o piloto e sua equipe trabalharam bastante nos treinos livres. Com tempos sempre entre os oito mais velozes da pista João estava contente com o desenvolvimento do seu chassis Mini e sabia que, na decisiva hora das corridas, teria um kart verdadeiramente rápido para tentar conquistar o título.

Na tomada de tempos, que determinou a posição de largada para as duas corridas classificatórias, Vieira ficou com a quarta posição, largando assim da segunda fila nas duas baterias. Nas corridas, porém, a verdade foi bastante diferente. Com seguidos problemas de quebra de motor Vieira completou apenas 16 das 88 voltas previstas para as corridas. Sendo que, na Final, ele acabou sendo tirado na largada por uma batida recebida de outro concorrente.

Antônio Vieira, pai do piloto, credita às quebras à problemas no combustível da corrida. “Estamos acostumados a competir com uma mistura de gasolina e óleo na proporção de 20/1. Aqui no Brasileiro foi usada uma proporção de 25/1, diminuindo assim o poder de lubrificação. Fora isso, e mais grave ainda, eu pessoalmente verifiquei que a pessoa responsável por adicionar este óleo ao galão de combustível não deixava o lubrificante escoar completamente no galão, deixando em cada frasco de 500 ml uma sobra de uns 50 ml, ou seja, 10% a menos. Assim, nós preparamos um motor para trabalhar com uma lubrificação baseada em 20/1 e acabamos competindo com algo próximo a 30/1. Realmente não há motor que suporte isso. Não fomos apenas nós que tivemos este problema. Falei com o Sr. Alexandre Lagana, responsável pelo kartódromo, mas o mesmo disse que estava fazendo tudo o que mandava o regulamento. Uma verdadeira lástima! Afinal, nós investimos tempo, dinheiro e dedicação que, no fim das contas, foi completamente acabada por uma condição fora de nosso controle”, explicou o pai que também prepara os motores de João.

De cabeça erguida e pronto a buscar o seu lugar de direito nas competições nacionais Vieira embarcrá na semana que vem para a segunda fase do Campeonato Brasileiro. No Kartódromo de Cascavel, no Oeste do Paraná, o piloto participará das disputas nas categorias Sudam Júnior e Graduados.

Foto: Flávio Quick

Comments are closed.