Quick News

Alessandro Xavier viveu fim de semana de experiências positivas e negativas no Sul-Brasileiro


| 9 anos atrás | Por:

Paranaense sofreu seu pior acidente em 11 anos de carreira e depois venceu bateria da Sudam

Disputando regularmente o Campeonato Sul-Brasileiro de Kart há alguns anos, Alessandro Xavier (Lillo | Rexona | Clear) viveu novas experiências – positivas e negativas – em sua carreira, iniciada há onze anos. O paranaense de Curitiba disputou a segunda etapa da competição, realizada no último final de semana em Cascavel (PR), e competiu em duas categorias, a Sênior A e Sudam.

Xavier, além de buscar vitórias para melhorar ainda mais sua posição no Sul-Brasileiro, tinha por objetivo preparar-se para o Campeonato Brasileiro, que terá as disputas da Sudam no Kartódromo Beto Carrero, em Penha (SC), e da Sênior A no Kartódromo Delci Damian, em Cascavel. Sempre utilizando o equipamento da Sênior A e baseado no regulamento desta categoria, o piloto e a equipe Neri Motorsport trabalharam para desenvolver o acerto do kart.

A experiência positiva e inédita na carreira de Alessandro Xavier veio na categoria Sudam, da qual participava pela primeira vez. “Foi uma etapa bem produtiva. Conseguimos aperfeiçoar bem o equipamento em ambas as categorias e fomos rápidos em todos os treinos, especialmente na 1ª bateria da Sudam, que ganhei”, aponta Xavier.

Mas foi na Sênior A que Xavier viveu a pior experiência de sua vida como piloto de kart. Depois de uma excelente tomada de tempos, quando ficou em 2º a apenas 17 milésimos do pole, o paranaense escapou sozinho em uma das curvas do circuito em razão da chuva recém iniciada. “Bati muito forte, foi meu pior acidente em 11 anos de automobilismo. Fui para o hospital, fizemos vários exames e, graças a Deus, foi apenas o susto e algumas escoriações. Foi uma desaceleração muito brusca”, lembra Xavier.

Alessandro Xavier (Lillo | Rexona | Clear) foi liberado pelo médico e logo retornou para o kartódromo. O objetivo era participar da tomada de tempos e correr a 1ª bateria da Sudam. “Preferi que fosse assim, logo após o acidente, pois fiquei assustado com a batida. Eu sabia que precisava retornar o mais breve possível para a pista para ver se realmente estava tudo bem comigo, eu tinha que espantar o medo logo. Felizmente deu tudo certo e venci a bateria”, conta o piloto.

Na segunda bateria da Sênior A Xavier largou em 16º em razão do abandono por causa do acidente. Em uma pista muito rápida e com poucos pontos de ultrapassagem, o piloto acabou forçando e bateu em um adversário. “Infelizmente forcei uma ultrapassagem em cima do Belizário, que também estava rápido, e acabei batendo nele e abandonei. A pista é muito perigosa e muito difícil de ultrapassar sem toques”, avalia Xavier, que com quatro títulos é o maior vencedor do Sul-Brasileiro, ao lado de Pedro Bianchini e Felipe Fraga.

O próximo passo de Alessandro Xavier é recuperar-se das sequelas do acidente. “Quero curar as escoriações no joelho para retomar os treinos. Vou correr também o Brasileiro no Beto Carrero pela Sudam, além da Sênior A em Cascavel, e quero me preparar melhor física e tecnicamente. Sem contar que será uma experiência única, pois o grid da Sudam será um dos melhores que já vimos”, elogia. “Quero agradecer a todos da Neri Motorsport, à RBC e à Techspeed, todos foram perfeitos neste último final de semana”, finaliza.


Comments are closed.